Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Um disclaimer sobre a gratidão

por doinconformismo, em 25.01.14

Escrevi no post anterior o quão grata sou pelo privilégio que tenho.

 

Sim, gosto do meu emprego, da minha família e amigos, da minha igreja, da associação onde faço tudo o que posso para divulgar e dignificar a profissão da gestão de projetos.

E sim, trabalho muitas horas. Mas nunca recebi pagamento por horas extraordinárias. Na verdade, não vejo utilidade nisso a não ser para quem, em vez das horas de descanso, tem de estar de prevenção ou fazer trabalho noturno. 

 

Mas tudo isso não me tapa os olhos nem me afeta o discernimento, por isso sei ver o que vai mal. E quando vejo, tento mudar, influenciar, decidir na minha esfera de responsabilidade. Até não poder mais. Falo com as pessoas, ponho pessoas a falar com outras pessoas, procuro outros recursos para trazer para a causa e tudo o que me é possível fazer. Mas há sempre algo para além do meu controlo e que me desagrada, em especial quando denota incompetência ou falta de caráter. O que fazer? Mudar os outros, mudar-me a mim, mudar de sítio quando tudo o resto não funciona. Mas antes disso, há que saber duas coisas:

 

Primeiro que tudo, aquele que governa o universo não dorme. Na sua generosidade, não retira o que já deu, mas não dá mais quando há mau uso.

Segundo, gratidão e felicidade não são sentimentos, são decisões. E isso faz toda a diferença. Em vez de olhar para o que não tenho, para o que não gosto, olho para todas as pessoas e coisas maravilhosas que me rodeiam. Tenho que mudar? Às vezes sim, até para poder continuar a ser eu mesma. Mas isso não altera em nada a minha gratidão. Porque quando vejo tudo o que se passa à minha volta continuo a pensar que sou uma privilegiada.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever newsletter



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D