Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Lula, OE16, Marcelo... Olhamos chocados para uns e embevecidos para outros.

Será que a pouca-vergonha que se está a passar no Brasil retira algum mérito a ideologias de esquerda? Ou apenas nos mostra que em qualquer setor de qualquer sociedade há sempre um punhado de gente mal formada que tenta salvar a pele seja de que maneira for? E a triste analogia que uns quantos patetas tentaram fazer com o Caso Sócrates mostra alguma coisa? Ou apenas atesta mais uma vez que cada um acredita no que quer e não nas provas reunidas (ou neste caso, falta delas)?

A mesma coisa em relação ao OE16. Este orçamento quanto a mim tem várias virtudes. A primeira das quais demonstrar que a esquerda portuguesa, quando quer, sabe unir-se e sacrificar-se para o bem comum. Relegando para segundo lugar as suas ideologias mais ou menos radicais, em favor do país. Que, já sabemos bem, não é constituído por famílias de elevados rendimentos (acima de 80.000€/ano existem apenas 11.100 famílias) mas de rendimentos estupidamente baixos (3,5 Milhões de famílias abaixo dos 7.000€/ano. Fonte - simulador EY/Expresso). Quase 70% para quem não sabia, para quem pensa que o país real é constituído por gente que anda de carrinho para cá e para lá e tem acesso a medicina no privado e come fora todos os dias.

Enganem-se. É por isso que para mim este OE tem mais uma (grande) virtude. É claramente um orçamento de esquerda, que baixa as taxas moderadoras e penaliza o consumo, que reduz a carga dos primeiros escalões de rendimento para compensar nos últimos. É assim que deve ser, pelo menos no momento que o país atravessa.

Calem-se os profetas da desgraça, que vamos todos ficar mal vistos e que já não vamos ser o "bom aluno" da Europa. Já é evidente que essa conversa não pega, e tanto que não pega que este orçamento já foi considerado pelo coletivo de economistas do "Budget Watch" como o melhor desde 2010. Boa, Centeno!

E depois, as idiotices do costume: quantas taxas de IVA numa única fatura de restauração? porquê baixar o custo dos copos mentruais? (pensam que alguma vez eu vou usar uma coisa daquelas???) e mais um conjunto de exemplos que são relativamente inócuos, sim, e não beliscam o essencial do orçamento: é bom.

Até (quase) faz esquecer a forma reles como a esquerda se comportou na tomada de posse do novo Presidente da República. Será a ideologia que faz as pessoas comportarem-se como idiotas? As ideologias de esquerda são boas para garantir igualdade de oportunidades, as de direita para incutir meritocracia. Todas são más no que toca a colocar palas nos olhos e fazer pessoas decentes comportarem-se como animais.

Mas Marcelo tem muito savoir faire, que lhe permite continuar impávido no seu caminho de afetos. Não votei neste candidato mas confesso que estou meio divertida meio esperançada face ao seu início de mandato. Ele é uma pessoa decente com valores sólidos e é disso mesmo que precisamos no nosso país e no mundo inteiro: pessoas que se preocupem com pessoas. 

Desafio por isso os meus amigos a medir até que ponto é bom ter ideologias e a partir de que ponto é importante colocarmos mãos e corações à obra para um bem comum: as pessoas.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever newsletter



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D