Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Os homens também sofrem

por doinconformismo, em 26.08.14

Pois sofrem, e muito. Sofrem porque desde pequeninos são mimados pelas mamãs, tias e demais e embora hoje em dia não haja uma mentalidade sexista tão evidente, há poucas décadas atrás era normal que se pensasse que o trabalho da casa era das mulheres e os homens não precisavam de fazer nada. Verdade, especialmente quando aos homens cabia garantir o sustento fora de casa e às mulheres o trabalho do dia a dia.

Mas isso mudou. Hoje em dia são raros os casais em que alguém não trabalha fora de casa e se isso acontece é mais por uma razão temporária de impedimento (ex: desemprego) do que por opção própria.

E assim nasceu este admirável mundo novo em que tanto o homem como a mulher garantem o seu próprio sustento. O que trouxe um problema grave aos homens. É que há umas décadas atrás, quando o homem saía de casa para trabalhar e a mulher fazia tudo para ser a perfeita fada do lar, não podia ser particularmente exigente pois não só era aceite que o casamento era para a vida acontecesse o que acontecesse, como a mulher não tinha rendimentos próprios e portanto era-lhe difícil garantir qualquer tipo de autonomia.

Mas hoje não é assim, aliás não é mesmo nada assim. As mulheres tornaram-se exigentes, chegando ao ponto de seguirem o lema de que "mais vale só do que mal acompanhada". E como garantem o seu próprio sustento e muitas até perseguem uma carreira de sucesso, um homem tem que suar muito para provar sequer que merece entrar no seu mundo. Mas isto não é nada, pois uma vez garantido o acesso há que manter o nível, o que causa uma pressão imensa, constante, aos padrões de qualquer um. Especialmente porque ao olhar para trás tem muitas vezes a sensação de que bastaria desistir e ir a correr para o colo da mamã para ter todo o miminho (e cama, comida e roupa lavada) que quisesse.

 

Mas depois não é só isso. Ontem os homens queriam-se rudes e a cheirar a cavalo. Hoje têm que saber vestir-se, cuidar-se e estar nas mais variadíssimas situações. É muita aprendizagem em muito pouco tempo.

E os estereótipos mudaram tanto! E há tão pouca informação para validar os caminhos. Além de que os homens têm dificuldade em ter conversas mais profundas, mesmo com os amigos. Uma mulher a precisar de ajuda, pede ajuda a uma amiga nem que seja perguntando "olha lá, como é que fazes nesta ou naquela situação". O homem não pergunta, infere, o que além de muito mais complicado coloca muito mais pressão.

E agora é tudo o que é esperado dele. Esperar que seja um bom marido não é apenas que ajude nas tarefas da casa, mas também que pense nos pormenores como a mulher pensa ou veja tudo o que é preciso fazer como ela vê. Não resulta. Meninas, ajudem os vossos homens e façam uma lista ordenada do que é preciso eles fazerem ok? Além disso, é um pressuposto que ele largue as saias da mãe, o que no final é o mais difícil de tudo porque a sua mulher nunca lhe vai dar tanto mimo, atenção, ou folga como a sua mãe. É ponto assente.

E ainda, apesar de trabalhar fora e ter uma carreira de maior ou menor sucesso, a mulher espera dele que seja algo orientador, que não a deixe sozinha com as contas do mês, ou as decisões sobre obras, férias, carros e tudo o mais. 

 

E até aqui só estiveram a brincar às casinhas. Porque no dia em que planeiam o primeiro filho vem mais um sem-fim de expectativas: que seja um bom pai, que mude fraldas, que também seja capaz de tomar conta do bebé durante a noite para dar algum descanso à mãe e que engula as suas próprias necessidades. O quê? Quer dizer que depois do bebé nascer o pai só tem direito a ser pai? depende de mulher para mulher, há quem recupere rapidamente e numa questão de dias volte a ter intimidade com o seu companheiro, há quem só o consiga depois de meses porque dói, porque tem desconforto ou até porque está demasiado cansada para pensar em qualquer outra coisa além de dormir quando o bebé não está a chorar. E o pai, porque é adulto, aguenta e não chora. E aguenta quando o infante está doente ou quando acontece outra coisa qualquer e quando a sua mulher, que já lhe dava menos atenção que a mãe, agora transferiu uma boa parte do carinho para outro ser. E inevitavelmente vêm os ciumes. E aqueles pensamentos patetas de que a mulher já não quer saber dele e tudo o mais.

 

E sim, tenho que admitir, as mulheres são umas palermas. Passam tanto tempo a cuidar da casa e dos filhos e nem sempre são capazes de fazer os seus homens sentir que são importantes para elas, que fazem parte da vida delas, e que com a casa mais um menos limpa, mais ou menos arrumada o importante mesmo é estarem juntos e serem felizes. Vamos corrigir isto ok?

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever newsletter



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D