Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O melhor transporte do mundo

por doinconformismo, em 22.01.15

Esta é uma discussão recorrente no meu local de trabalho.

Há quem defenda que o bike to work day deve ser todos os dias, mais ou menos como o Natal. Há quem não prescinda do seu carrinho nem que seja para fazer 5 Km.

Vamos ser razoáveis? Lá em casa é assim: eu saio de manhã, vou pôr os miudos à escola, trabalho no meio de Lisboa mas na maior parte dos dias saio a horas indizíveis. Para mim pelo menos torna-se evidente de que sem carro perco muito tempo em transportes por isso, uso carro. O meu marido faz 35Km diários ou mais, para fora de Lisboa numa zona onde os transportes são difíceis. Sim precisa de carro.

Portanto são 2 carros lá em casa, são. E pondo de parte a pegada ecológica, que sinceramente não me tira o sono, são dois mealheiros sempre a pingar. Como em todas as situações, para podermos ter carro não temos outras coisas, nem sempre vamos de férias para onde queremos e por aí fora. São opções como quaisquer outras.

Tenho colegas que mesmo morando fora de Lisboa, sempre que podem vêm de bicicleta para o trabalho. Não poupam tempo mas nem sempre gastam muito mais tempo do que vindo de transportes ou mesmo de carro, poupam seguramente bastante dinheiro, trabalham a sua forma física e sentem-se bem consigo próprios por estar a deixar um ambiente melhor.

E depois também andam de bike ao fim de semana. Mas atenção: lá em casa também há quem ande de bike ao fim de semana. E aqui entra algo que todos podemos fazer para melhorar o ambiente e para ajudar os outros a melhorá-lo também: apoiar a construção de ciclovias.

Eu sou a favor de ciclovias. Lisboa ficou muito mais bonita e funcional a partir do momento em que as ditas cujas começaram a aparecer. E já que o pessoal gosta de passear de bike pelos mesmos sítios que os carros, que hajam condições para tal.

O meu amigo Nuro tem este blog onde iniciou uma campanha pela construção de uma ciclovia no percurso Alfragide>Lisboa. Não é preciso andar de bike todos os dias, nem sequer é preciso andar de bike para ver que há uma zona no percurso que está particularmente perigosa. E também não é preciso andar de bike para poder ajudar (pelo menos enquanto não nasce uma ciclovia ali mesmo!), basta seguir as instruções que estão neste post.

Eu já o fiz e gostava que todos os que leem este post o fizessem. Por favor. São 2 minutos.Este é o meu presente de aniversário antecipado para o Nuro, e a vossa ação é um presente para a Grande Lisboa e todos os que utilizam estas vias. O Nuro agradece. Eu agradeço. Lisboa ainda mais!

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever newsletter



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D