Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A felicidade só se ganha repartindo

por doinconformismo, em 19.09.14

Hoje estou muito feliz. Muito feliz porque em vez de me ficar por assistir passivamente à felicidade dos outros, esta semana tive a oportunidade (ou melhor, o privilégio) de participar ativamente na celebração da felicidade de alguém, mais propriamente na celebração de 15 de vida em comum, o que nos tempos que correm é uma autêntica proeza.

E no fim da noite, quando já não era necessária mais organização, quando já todas as surpresas já tinham acontecido, quando os pés já clamavam por descanso, apenas podia sentir uma enorme felicidade pela felicidade daquele casal de quem tanto gosto, por aquela noite memorável e emocionante... e uma enorme gratidão a ter sido chamada a fazer alguma coisa, a investir do meu tempo, imaginação, esforço e sei lá que mais para embelezar um momento já de si tão belo. Não fui a única, quase todos naquele lugar contribuímos com mais ou menos esforço e até há quem tenha posto esforço apenas para poder estar presente, o que decerto foi recompensador.

 

Pensava eu quando era mais jovem que felicidade = sucesso e que portanto era necessário trabalhar muito para atingir as metas e aí sim, no cume dessas metas morava a felicidade. Pode até ser, mas se ficarmos focados nisso perdemos o mais elementar: a felicidade de olhar para um dia perfeito e simplesmente deixar a luz desse dia inundar-nos; a felicidade de contemplar uma paisagem avassaladora; a felicidade de estar, apenas estar, com pessoas de quem gostamos; a felicidade de sabermos que hoje, no local onde trabalhamos, melhorámos a vida de alguém.

Mas a raínha de todos esses momentos é sem dúvida quando fazemos alguém feliz. Ficamos a sentir-nos bem connosco próprios, com os outros e com o mundo em geral. Porque fica claro que o mundo ficou melhor.

 

Talvez seja por isso que os portugueses são considerados tristonhos e taciturnos: não só não estamos habituados a fazer nada por ninguém, pior ainda estamos habituados a coscuvilhar e invejar. Isso sim, são características do nosso povo que precisam de ser erradicadas o mais rapidamente possível. Queremos ser felizes? Vamos fazer alguém feliz. Todos os dias temos tantas oportunidades para tal, mesmo à nossa porta. Vamos fazer disto um hábito. E vamos perceber algum tempo depois que nos sentimos mais felizes... porque fazer alguém feliz compensa!

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever newsletter



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D