Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Mau feitio

por doinconformismo, em 20.09.13

Sim, eu sei, é o meu nome do meio. Tenho mesmo muito mau feitio porque não consigo ver coisas mal feitas, porque me custa ver gente a sofer e acima de tudo não suporto injustiças.

E é por isso que ultimamente ando com uma dose extra de mau feitio...

 

Comecemos pelas coisas mal feitas:

- o que dizer quando alguém que sistematicamente faz as suas tarefas de forma descuidada ou desatenta? Que quando pedimos um café escaldado nos dá uma chávena fria, por exemplo?

- o que dizer de alguém que é tão arrogante intelectualmente que pensa ser o único a ter razão quando o mundo inteiro lhe diz que está errado?

- o que dizer de alguém que muda o discurso e a direção consoante os fatores externos?

Coisas mal feitas. Odeio. Seja no café, na colocação de professores, na gestão dos agrupamentos e escolas públicas, ou no governo em geral. E todos os dias vejo disto e fico com muito mau feitio.

 

Gente a sofrer:

- desde que li que há crianças internadas nos hospitais de lisboa por causa da fominha que passam (http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=607703&tm=2&layout=123&visual=61) que nunca mais fui a mesma. Onde estão as nossas ONGs? Onde está a nossa sociedade civil? A que coisas é que andamos a dar importância se não é a estas??

- e há idosos que têm que trabalhar à noite para sustentar a casa, o conjuge doente (http://idademaior.sapo.pt/bem-estar/saude/idosos-trabalham-a-noite-para-poder-pagar-despesas-do-conjuge-doente/)? Não chegou uma vida inteira?

- e que dizer da prática tão comum nos países muçulmanos de casar meninas com menos de 10 anos com homens feitos, prática que começou a ser mais discutida agora que morreu uma menina de 8 (OITO) anos no Íemen fruto de uma hemorragia interna causada pela consumação do casamento. Neste país que, pasme-se, subscreveu a carta dos Direitos Humanos, 52% das meninas são obrigadas a casar-se antes dos 18 anos. 52%...

Gente a sofrer. Gente que nem sempre tem motivos para acreditar num futuro melhor. Gente abusada e violentada, causa-me meu feitio. Mais, causa-me revolta.

 

Injustiças:

- gente que trabalhou uma vida inteira com um determinado modelo de desconto e cálculo de pensões (bom ou mau, era o que existia, o que estava comunicado). Hoje, muitos com pensões não tão grandes, veem-nas ainda menores porque um estado totalitário decide unilateralmente cortar no que lhes paga e é seu por direito.

- banqueiros que são amigos de políticos que são amigos de governantes, fazem o que querem e quando as suas ações são descobertas são presos? não. Obrigados a pagar o que roubaram? nada disso. Com azar tornam-se assessores do governo. Ao pé desta gente o Vale e Azevedo é um menino! Mas, pergunto eu, quem repõe o dinheiro que ficou a faltar? E a resposta é invariavelmente a mesma: quem trabalha. Sempre ouvi dizer que quem trabalha não tem tempo para enriquecer, mas agora ainda menos, porque tem que pagar pelos que enriquecem roubando, perdão, desviando...

- acesso a inglês e outras disciplinas no 1º ciclo. Bem sei que não podemos todos ser doutores. Ou se calhar até podemos... Mas será que a seleção tem que começar no 1º ciclo? Será que as crianças cujos pais não podem pagar um colégio privado têm que ser elas próprias privadas de aprender inglês ou outra disciplina essencial? Está provado que as pessoas bilingues têm inúmeras mais sinapses do que as que só falam uma língua por isso sim, estamos a cortar não uma perna mas uma parte do cérebro a estas crianças. Por não terem dinheiro? Não chega não se alimentarem tão bem quanto as outras e provavelmente serem gozadas por não vestirem ou não usarem o último modelo de roupa-sapatos-mochilas-acessórios? A sério, senhores governantes? E quem é que vamos ter daqui a 20 em lugares de destaque nas empresas e no estado?

 

Mau feitio. Revolta. Raiva.

Tudo o que escrevi são pequenos exemplos, muitos mais poderiam ser citados. Para mim, qual é o maior exemplo de injustiça? São as vidinhas que muita gente leva a preocupar-se consigo mesma, com o que tem, com o que quer ter, e nem sequer olha para o lado quanto mais ajudar quem precisa. Pior, nem ajuda e até desajuda, como certos supermercados que deitam fora o que já não tem validade mas a seguir despejam lixívia para ninguém ir buscar.

Alguém que viva assim é tão mau como o Scrooge, o Charles Dickens é que a sabia toda. Será que é preciso aparecerem uns quantos fantasmas para nos fazerem mudar de ideias?? Ou podemos começar hoje a procurar oportunidades para ajudar? E acima de tudo, oportunidades para ajudar a mudar!

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever newsletter



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D